domingo, 23 de outubro de 2011

Mário Quintana

Quando eu me for
Quando eu me for, os caminhos continuarão andando...
E os meus sapatos também!
Porque os quartos, as casas que habitamos,
Todas, todas as coisas que foram nossas na vida
Possuem igualmente os seus fantasmas próprios,
Para alucinarem as nossas noites de insônia!
[Mario Quintana; Velório sem defunto, 1990]

Compensação

Na inocência da natureza

Todos têm a beleza do que eles próprios são.

Por isso é que os monstros
- por mais que eles assustem crianças e adultos -

Têm sempre os olhos azuis...
[Mario Quintana; Velório sem defunto, 1990]

Nenhum comentário:

Postar um comentário