domingo, 20 de março de 2011

"Debruço-me sobre o livro:
o poema invade olhos, tecidos.
Vozes.
Que espada mais aguda
que o eco de seu som?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário