sexta-feira, 29 de julho de 2011

Conselhos úteis

Esteja sempre aberto para conversar com seus filhos e familiares. E por conversar entendemos: falar, ouvir e refletir;
Não tenha medo de despertar a curiosidade. Crianças e adolescentes são curiosos por natureza.
Todos nós temos a possibilidade de nos viciar portanto, não julgue o outro como sendo fraco, problemático e sem caráter. A drogadicção é uma doença e deve ser tratada como tal;
Não dê medicamentos aleatoriamente aos seus filhos, consulte sempre um médico e siga corretamente as instruções da bula dos remédios;
Dê exemplo aos seus filhos através das suas atitudes a não apenas pelos seus discursos;
Não deixe só a escola se comprometer com a educação dos seus filhos. Participe ativamente da formação de valores deles;
A frustração faz parte da nossa realidade diária e é muito importante aprender a lidar com ela. Ajude seu filho a lidar com a frustração e não o poupe de passar por ela, vocês só têm a ganhar com a experiência;
Coloque limites desde pequenos. Deixe eles perceberem que suas atitudes têm conseqüências. Brincou bastante, fez bastante bagunça, ótimo! Isto é muito saudável. Agora, já pode organizar e guardar os brinquedos que usou;
Ensine que devemos ter cuidado e desconfiança com o que recebemos de pessoas estranhas;
Não se embriague na frente de seus filhos e, se for incontrolável, procure ajuda. Você tem um problema sério que precisa ser tratado;
Pais violentos e desatenciosos afastam seus filhos de si e abrem as portas para que pessoas com valores distorcidos e má intencionadas aproximem-se deles;
Este problema pode acontecer com você ou na sua família. Não acredite que essas coisas só podem acontecer com o filho do vizinho ou o amigo distante;
Dê algum tipo de orientação religiosa ou de fé. Não obrigue seu filho a seguir sua crença mas, mostre a ele a importância de termos alguma força interna que nos traga conforto;
Fique atento para quando algumas pessoas, professores, colegas, familiares, chamam sua atenção para Mudanças Repentinas pelas quais seu filho pode estar passando. Converse com ele sem acusá-lo;
Evite discutir na frente dos seus filhos. Isto gera uma insegurança fortíssima e normalmente as crianças acreditam que têm culpa pela briga, mesmo qe a discussão não tenha nada a ver com ela. O mundo, para as crianças, gira em torno delas e neste caso não é diferente;
Esteja presente! Não só fisicamente mas, participe da vida de seus filhos, saiba da rotina deles, dê palpites, apóie, reclame, abrace. E se esta chance já passou, não desista! É mais difícil agora que o problema já se instalou mas deixe ele saber que ainda existe alguém que acredita na recuperação dele, mesmo que nem ele acredite mais.

Texto extraído do site: www.diganaoasdrogas.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário