terça-feira, 12 de junho de 2012

As bem-aventuranças dos idosos


Bem-aventurados os que me olham com simpatia
Bem-aventurados os que compreendem meu lento caminhar
Bem-aventurados os que falam em voz alta para diminuir minha surdez
Bem-aventurados os que apertam com calor minhas mãos trêmulas.
Bem-aventurados os que notam que meus olhos já estão nublados e minhas reações lentas
Bem-aventurados os que sabem disfarçar ao verem que derramei a xícara de café sobre a mesa
Bem-aventurados os que se interessam pela minha longinqua juventude
Bem-aventurados os que não se cansam de ouvir as minhas histórias, que frequentemente repito.
Bem-aventurados os que compreendem minha necessidade de carinho
Bem-aventurados os que me fazem compreender que sou amado e que não estou abandonado nem sozinho
Bem-aventurados os que me presenteiam parte do seu tempo
Bem-aventurados os que percebem a minha solidão


Bem-aventurados os que me acompanham no meu sofrimento
Bem-aventurados os que entendem que me custa muito encontrar forças para levar minha cruz
Bem-aventurados os que alegram os dias da minha vida
Bem-aventurados os que me acompanharem e facilitarem a passagem final à Pátria Celeste com amabilidade e compreensão.
Quando entrar na vida sem fim lembrar-me-ei deles diante do Senhor Jesus. 
Autor desconhecido ou ignorado


Nenhum comentário:

Postar um comentário