sábado, 11 de setembro de 2010

Últimas Notícias

Quadrilhas alteram logística do tráfico
(11/09/2010)


A maior apreensão de pasta-base de cocaína já feita na região da Tríplice Fronteira dá pistas de como as quadrilhas de narcotráfico têm alterado a logística desse tipo de crime na região. Neste ano, o total de cocaína apreendida é seis vezes superior ao que foi retido em 2009. Na noite de quarta-feira, cerca de 80 quilos da droga foram encontrados nos pneus de uma caminhonete que havia sido apreendida pela Polícia Rodoviária Federal na semana anterior.

A droga foi descoberta por agentes da delegacia da Receita Federal (RF), em Foz do Iguaçu, no Oeste do estado. O veículo havia sido retido por estar com quatro pneus novos, o que poderia caracterizar crime de contrabando conforme a legislação aduaneira. A vistoria da caminhonete foi agendada para quarta-feira, no pátio da RF, mas o motorista não compareceu. Segundo a assessoria de imprensa da RF, o cheiro forte já havia chamado a atenção dos servidores.

Ao retirarem os pneus, os fiscais descobriram a pasta-base distribuída em vários tabletes envoltos nas rodas, o que permitia que o veículo circulasse normalmente. Avaliada em cerca de R$ 1 mi­­lhão, essa foi a maior apreensão da droga feita na região. De acordo com a Polícia Federal (PF), a encomenda seria levada para São Paulo. O motorista está sendo procurado.

Dados da PF indicam que, apesar de a maconha ainda ser a droga que mais ingressa no país pela tríplice fronteira, algumas quadrilhas têm dado preferência para as substâncias mais caras e rentáveis, como a cocaína e seu principal derivado, o crack. Enquanto no primeiro semestre de 2009 foram tirados de circulação cerca de 50 quilos de cocaína, este ano já passa de 300 quilos.

Outra mudança de estratégia dos narcotraficantes está no recrutamento dos “mulas”, para transportar a droga. Nos anos anteriores, de cada três presos, um era brasileiro e dois estrangeiros, de maioria paraguaia. Do final de 2009 até agora, essa proporção se inverteu. Dos 150 detidos, 105 são brasileiros e 45 estrangeiros. “Como os paraguaios estavam bastante visados, passaram a adotar outras estratégias na tentativa de dissimular o ilícito e despistar a polícia”, explica o chefe de operações da PF, delegado Marco Smith.
Fonte:Gazeta do Povo - Foz do Iguaçu - Fabiula Wurmeister, da sucursal

Fonte:UNIAD - Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas


Lei Seca continua como fator de diminuição de mortes no trânsito no Rio de Janeiro
(10/09/2010)


A implantação da Lei Seca, que limita o consumo de bebida alcoólica pelo motorista, já poupou a vida de pelo menos 100 pessoas na capital fluminense nos dois anos de vigência. Desde o primeiro semestre de 2008, quando a lei foi implantada, o número de mortes por acidentes de trânsito vem diminuindo na cidade. Em 2008, foram 427 mortes; em 2009, 379. No primeiro semestre deste ano, os registros são de 327 mortes.

Os dados fazem parte de um levantamento divulgado hoje (08) pela organização não governamental (ONG) Rio Como Vamos, com base em estatísticas do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro.

No levantamento comparativo do primeiro semestre de 2010 com o mesmo período de 2009, 17 das 26 regiões discriminadas na pesquisa, apresentaram variações de queda. Em Madureira, zona norte da cidade, por exemplo, houve redução de 4,76% e na Lagoa/Rocinha, zona sul, de 77,78%. Mas, em Vigário Geral, bairro da zona norte, no primeiro semestre de 2010, como em 2009, as mortes aumentaram, contrariando a tendência da cidade.

A diretora do Rio Como Vamos, Rosiska Darcy de Oliveira, destacou o número de vidas poupadas na capital fluminense desde a implantação da Lei Seca. “Em números absolutos, foram 100 mortes a menos. Ora, entre essas pessoas que deixarão de morrer pode estar um filho seu, até mesmo você pode ter sido salvo. Então eu acho que são argumentos fortes para se pensar que não se deve beber quando se está dirigindo”, afirmou.

Quando a Operação Lei Seca completou dois anos em junho deste ano, o Ministério da Saúde divulgou dados que mostram a diminuição em 6,3% no número de acidentes com mortes durante o período de 12 meses após a Lei Seca, quando comparado aos 12 meses anteriores à lei. O percentual representa 2.302 mortes a menos em todo o país, reduzindo de 36.924 para 34.597 o total de mortes causadas pelo trânsito.

Autor:
OBID Fonte: Agência Brasil



População aprova "Aracaju sem cigarro"
(09/09/2010)


Tudo melhora quando paramos de fumar: olfato, paladar, disposição física.

É uma outra forma de viver, com qualidade de vida. Foi com essas palavras que a secretária de gabinete do Ministério Público Estadual (MPE), Marieta Teodoro, descreveu a sensação de deixar de ser fumante. Graças também à força de vontade de Marieta, Aracaju é hoje a capital brasileira com menor número de fumantes. Para comemorar o título e diminuir ainda mais esse índice, a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou nesta quarta-feira, 8, a campanha ´Respire Qualidade de Vida: Aracaju sem Cigarros´.

A abertura aconteceu no Centro da capital com uma série de ações recebidas com alegria pela população. As atividades incluiram panfletagem no calçadão, colocação de adesivos em veículos, além de visitas ao MPE, Câmara de Vereadores e Tribunal de Justiça de Sergipe. Enquanto equipes faziam abordagem nas repartições públicas, outra turma conversava com os pedestres no calçadão da João Pessoa juntamente com o grupo de teatro ´A arte de prevenir´, que alegrou ainda mais a manhã com muita música.

O fiscal de Serviços Urbanos Sérgio Tavares foi um dos motoristas abordados durante a ação. Ele fez questão de colaborar com a campanha, permitindo a colocação do adesivo em seu veículo. Essa é uma bela campanha. Precisamos acabar com esse negócio de fumo porque sabemos que ele só prejudica a nossa saúde, disse.

A assessora da coordenadoria do MPE Rosa Maria Fraga aprovou a abordagem educativa em seu local de trabalho. Eu estou muito contente com essa campanha porque mesmo os não fumantes são afetados por aqueles que fumam. Sem falar que essas iniciativas acabam inibindo ainda mais o uso do cigarro. Essas campanhas são um ótimo estímulo para quem quer largar o vício, declarou a assessora.

A promotora de Justiça Euza Missano também elogiou a ação da SMS. É uma campanha fundamental, maravilhosa, e Aracaju está de parabéns por ter conseguido diminuir sensivelmente esses índices de fumantes na capital. Hoje a gente respira outra realidade e o Ministério Público fica muito feliz e quer ser parceiro desse belo trabalho, disse.

Apoio

A procuradora Ana Christina Brandi, que é fumante, recebeu a abordagem com alegria e ofereceu todo seu apoio. Eu ainda sou fumante, mas pretendo de coração deixar de fumar. Eu respeito os não fumantes, tanto que não fumo dentro de casa. Acho esse trabalho maravilhoso e estamos precisando de iniciativas como essa porque, infelizmente, milhares de pessoas vêm a óbito por causa do cigarro. Podem contar comigo e com o Ministério Público para dar apoio a essa ação, garantiu.

O promotor de Justiça Rony Almeida também aprovou a campanha da Prefeitura de Aracaju. Eu vejo essa campanha com muita alegria porque sabemos dos malefícios causados pelo cigarro e trabalhar para que as pessoas não fumem e acabem com esse vício é uma iniciativa louvável. Só tenho que parabenizar a prefeitura por esse trabalho, declarou o promotor.

O presidente da Câmara de Vereadores de Aracaju, Emmanuel Nascimento, disse estar satisfeito em saber que uma lei de sua autoria ajudou Aracaju a respirar um ar mais saudável. A lei 3.756 proíbe cigarro em locais públicos fechados. Graças ao nosso trabalho, a população tem um ar melhor para respirar, mais saúde e menos gastos com o tratamento de fumantes, destacou Emmanuel.

Abordagens

Nesta quinta-feira, 9, as abordagens educativas serão realizadas no Tribunal de Contas do Estado, Fórum Gumercindo Bessa, Secretaria de Estado da Fazenda, HEMOSE, HUSE e Justiça Federal. Até 1º de outubro deste ano, as equipes da SMS continuarão visitando órgãos públicos, escolas e estabelecimentos de saúde públicos e privados, supermercados, shoppings e grandes estacionamentos.

Fonte:Plenário/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)



Bebida alcoólica e direção: uma mistura perigosa (08/09/2010)


Todos nós sabemos das consequências negativas que a relação álcool-volante causa.

Segundo pesquisas, na maior parte dos acidentes em via urbana ou na rodovia, principalmente em finais de semana, existe um motorista alcoolizado envolvido.

Campanhas educativas realizadas por órgãos na cidade são feitas com frequência, mas a falta de consciência do ser humano tem sido o fator predominante.

Conforme o delegado da Polícia Civil, do setor de Carteira Nacional de Habilitação, Paulo Delladona, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), com suas virtudes, tem o objetivo de reprimir o infrator ou inibir condutas transgressoras.

Delladona ressalta que a Lei 11.705 e a Lei 9.294 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) proíbe a todo condutor de veículo dirigir sob influência de álcool, ou de qualquer outra substância psicoativa ou que determine dependência física ou psíquica, segundo artigo 165. "Artigo 165. Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência. Infração gravíssima; penalidade: multa e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses. Medida Administrativa: retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado e "recolhimento do documento de habilitação", esclarece Delladona.

O delegado orienta que o ideal é não dirigir depois de beber. Ele observa que todo condutor do veículo sob suspeita de haver excedido os limites de alcoolemia previstos no CTB "será submetido a testes de alcoolemia, exames clínicos, perícia ou outro exame que por meios técnicos ou científicos, em aparelhos homologados pelo Contran, permitam certificar o seu estado", alerta.

Lei seca - Delladona enfatiza que a Lei Seca (11.705/2008 - agora reformulada e mais rígida), na recusa de algum empregado a se submeter ao exame de bafômetro, poderá ser feito por outros meios. "Como a Constituição Federal assegura ao cidadão o direito de não fornecer provas contra si mesmo, a comprovação da embriaguez dos motoristas não será apenas por teste do bafômetro. Ela poderá ser obtida por outros meios, como fotos, vídeos e relatos de testemunhas, facilitando o trabalho da autoridade de trânsito", avisa.

Fonte:Jornal de Uberaba/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)



Pesquisa mapeará o crack em Pernambuco
(10/09/2010)


Especialistas em pesquisas relacionadas ao uso de drogas darão início, no próximo mês de outubro, a um mapeamento do consumo de crack e outras drogas ilícitas em Pernambuco. O estudo, a ser realizado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), será feito em todas as regiões do Estado e deverá ser concluído em seis meses, num investimento estimado em R$ 1 milhão. As informações foram repassadas na tarde de ontem durante a palestra sobre “Uso de Crack e outras Drogas no Brasil”, no auditório da Faculdade Frassinetti do Recife, que contou com a presença dos especialistas do Cebrid, Elisaldo Carlini, e Solange Nappo.

O estudo do Cedrib fará o mapeamento das informações existentes nas Unidades de Saúde, Assistência Social, Defesa Social, entre outros, para identificar o número de usuários e a qualidade dos serviços prestados. Em seguida, será feito o levantamento domiciliar com a aplicação de questionário nas residências de famílias de usuários. A última etapa será a do levantamento qualitativo, que consiste na entrevista com o próprio usuário.

“Acredito que o enfrentamento ao crack não deve se concentrar em técnicas terapêuticas, mas sim, em medidas preventivas. No entanto, a decisão sobre o que fazer cabe ao Estado. Mas para se chegar a uma decisão, é fundamental que seja feito um diagnóstico da real situação”, destacou o professor do Cebrid, Elisaldo Carlini.

Ao final do mapeamento, será inaugurado um núcleo avançado do Cebrid em Pernambuco.
Autor: Alexandre Ferreira
OBID Fonte: Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário