terça-feira, 26 de abril de 2011

Eduardo Galeano

A noite /1
Não consigo dormir. Tenho uma mulher atravessada em minhas pálpebras. Se pudesse, diria a ela que fosse embora; tenho uma mulher atravessada em minha garganta.

A noite /2
Arranque-me senhora, as roupas e as dúvidas. Dispa-me, dispa-me.

Nenhum comentário:

Postar um comentário