quarta-feira, 16 de novembro de 2011


Uma lição para a vida

Dois irmãozinhos brincavam em frente de casa quando Júlio, o irmão mais novo disse ao irmão Ricardo:
- Meu querido irmão, eu te amo muito, e nunca quero me separar de você... Ricardo, sem dar muita importância ao que Júlio disse pergunta:
- O que deu em você? Que conversa é essa? Vamos continuar brincando.
E assim, os dois continuaram brincando a tarde inteira até o anoitecer.
À noite, o Sr. João, pai dos garotos chegou do trabalho. Estava exausto e muito mau humorado, pois não havia conseguido fechar um negócio importante. Ao entrar, João olhou para o seu filho Júlio que sorriu dizendo:
- Olá papai, eu te amo muito, e não quero nunca me separar do Senhor.
João mau humorado disse: - Ta bom, ta bom Júlio, vá brincar com seu irmão, pois quero descansar um pouco. Júlio ficou triste com a indiferença do pai e magoado foi chorar num cantinho do seu quarto. Dona Joana, mãe dos garotos, preocupada com o sumiço de Júlio foi procurar pela casa e o encontrou num cantinho do quarto. Quando o viu com aquela expressão triste, perguntou-lhe:
- O que foi Júlio, conte-me o que está lhe perturbando.
O menino então respondeu...
- Eu te amo muito mamãe, e nunca quero me separar da Senhora.
A mãe numa expressão de carinho respondeu-lhe.
- Meu amado filho, que bobagem, ficaremos para sempre juntos. Não vamos nos separar nunca. O menino num gesto de ternura deu um abraço e um beijo na mãe e sorrindo foi se deitar.
No quarto do casal, ambos preparavam-se para dormir quando Joana perguntou ao marido.
- João, o Júlio está tão estranho hoje não está? O que será que está acontecendo.
E o marido ainda preocupado com seus problemas do trabalho responde à esposa:
- Não é nada Joana, ele está é querendo chamar a atenção, coisa de idade. Então todos se recolheram e dormiram profundamente.
No meio da madrugada, Júlio se levantou e foi ao quarto do irmão e ficou o observando dormir.
Ricardo incomodado com a claridade, acorda e grita com Júlio:
- O que você quer? Apaga esta luz e me deixa dormir.
Júlio em silêncio obedeceu ao irmão. Apagou a luz e se dirigiu ao quarto dos pais. Lá chegando, acendeu a luz e ficou observando os pais dormirem. Nisso, o Sr. João acordou e já com certa ignorância perguntou ao menino:
- O que você quer Júlio? O que está acontecendo?
Júlio apenas balançou a cabeça em sinal negativo.
- Então volte para o seu quarto e vá dormir. Pare de incomodar os outros com esta mania no meio da madrugada. O menino voltou para o quarto muito triste. Na manhã seguinte todos se levantaram para tomar o café. João iria trabalhar e Joana levaria as crianças para a escola. Mas Júlio não se levantou. O pai foi ao quarto buscá-lo. Chamou por Júlio e nada. Tornou a chamá-lo e ele nem se mexeu. João vai até à cama, puxa o cobertor do menino e percebe que Júlio não mostra nenhuma reação. Seus olhos continuavam fechados e ele tinha uma aparência muito pálida. João assustado colocou sua mão sobre a testa de Júlio e pôde notar que seu filho estava gelado. Em pânico, gritou chamando por sua esposa. Infelizmente o pior tinha acontecido. Júlio estava morto sem qualquer motivo aparente. A mãe desesperada abraçou o filho morto e quase não conseguia respirar de tanto chorar. O irmão mais velho segurou a mão de Júlio firmemente e chorou silenciosamente. João soluçando com os olhos cheios de lágrimas percebeu que havia um papelzinho dobrado nas pequenas mãos de Júlio. Pegou o papel abriu, e percebeu que era a letra de Júlio. Dizia:
- Outra noite, Deus veio falar comigo em sonho, disse que eu teria de ir com ele. Eu disse que não queria me separar da minha família, mas ele me disse que era necessário, mesmo sabendo que eu amava meus familiares e que também era amado por eles. Eu só queria deixar um recado... Ricardo, não se envergonhe de amar seu irmão. Mamãe, a senhora é a melhor mãe do mundo. Papai, o senhor de tanto trabalhar se esqueceu de viver. Amo todos vocês, mas tenho de partir. Quantas vezes não temos tempo para amar e receber o amor que nos é ofertado? Talvez, quando acordarmos pode ser tarde demais. Diga às pessoas que você ama o quanto elas são importantes pra você. Afinal a vida só vale à pena quando amamos e somos amados. Ainda há tempo... Pense nisso!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário